Plimun.com

This Domain Name Has Expired - Renewal Instructions.

Notice
  • There is no category chosen or category doesn't contain any items

A escravidão de animais para tração

"Jamais creia que os animais sofrem menos do que os humanos. A dor é a mesma para eles e para nós. Talvez pior, pois eles não podem ajudar a si mesmos." - Dr. Louis J. Camuti

transporteSociedade, carroceiros* e animais

* Leia-se carroceiros como condutores de carroças e charretes. São atividades similares com as mesmas vítimas. São igualmente desprezíveis, mesmo as charretes ainda tendo uma romantização social que encobre a escravidão.

 

Não dá mais para fingirmos que as inúmeras carroças existentes na cidade nada significam. Carroceiros excedem-se em abusos e infrações. Muitos são mestres em atrocidades para com os animais, impondo-lhes um calvário de dores e privações de direitos. Considerando-se as exceções, os bichos trabalham o dia todo sob pressão e chibatadas, sem comer, beber ou descansar, e, não raras vezes, são alugados para trabalharem também no período noturno. Os apetrechos - que os prendem covardemente à carroça - causam-lhes ferimentos e desconforto, além de ficarem expostos às intempéries, como sol forte ou chuva e frio.

Alijados de suas condições naturais de vida, à noite, solitários, são presos em cubículos ou amarrados em arbustos, quando não saem a vagar procurando por comida. Cavalos doentes, éguas prenhes e burricos vêm da periferia, de lugares longínquos, e percorrem dezenas de quilômetros todos os dias. São agredidos, tratados com despreparo e negligência. Resultando: animais apáticos, tristes, desnutridos e subjugados. Deles tudo é tirado, desde a cria até a liberdade. 

Paqueta 2011: Senzala. Animal magro e com problemas de coluna

E os carroceiros? Estão no limite da pobreza, moram em buracos, vivem à margem da sociedade, em condições insalubres e aviltantes, têm um histórico de despreparo educacional, de doenças, de violência. Agredidos por um desumano sistema econômico, esses excluídos brutalizam também a família, além dos animais. Só demagogos, oportunistas ou omissos podem defender uma profissão que não eleva a pessoa à condição de cidadão. Carroças na rua evidenciam o nosso fracasso social. Conhecemos indivíduos, e seus inúmeros filhos, que são carroceiros há décadas e continuam vivendo na mesma situação de subemprego e miséria. Como podem, então, se mal têm para si, cuidar de um animal de grande porte? Como é que fica a situação desse ser que é tutelado pelo Estado e tem direitos garantidos por lei? Então o bicho, que nenhum mal cometeu, tem que trabalhar para nós como escravo e arcar com o ônus da nossa desequilibrada e injusta organização social. Os animais, ao contrário do que se apregoa, não nasceram para nos servir, cada espécie tem sua própria e inerente razão de ser,e já está mais do que na hora da superação desse cômodo e imoral especismo, termo usado por Peter Singer e outros filósofos e juristas contemporâneos para se referirem ao preconceito contra os seres não-humanos.

Charrete em Paraty 2012.  Égua em Pedra de Guaratiba 2012:  faleceu após abortar e ficar sem assistência na rua.


Ainda infringem o Estatuto da Criança e do Adolescente e as leis de trânsito ao colocarem menores trabalhando, conduzindo carroças pela cidade. A omissão dos poderes e órgãos responsáveis só serve para dar respaldo a ilegalidade e maus tratos. Ser indiferente e cruel para com os animais acostuma o nosso olhar e resvala na indiferença e crueldade para com os homens. A exploração não atinge apenas o cavalo usado para tração, mas também o carroceiro (cujo papel está sendo assumido, cada vez mais, por mulheres e crianças), pois dele passam longe os mais elementares direitos trabalhistas. Mais lógico seria cadastrar e organizar esses catadores informais em associações ou cooperativas, em usinas de processamento de lixo, com veículos motorizados, remuneração, direitos assegurados e formação educacional profissionalizante. Enfim, eliminar, limitar ou regulamentar atividades que atentem contra a dignidade dos homens e das outras espécies é uma conduta generosa e dever de sociedades ditas civilizadas.

As autoras, Sônia Marques Joaquim e Vânia Rall Daró, são, respectivamente, professora aposentada da Unesp-Bauru e advogada e tradutora pública.

transportebanner1   

Curiosidades importantes:
- Uma carroça carrega meio metro cúbico de areia, o que corresponde a 700 kg. Camionetas com 70 HP (HORSE POWER) têm capacidade máxima de 500 kg. A proporção é absurda.

- O cavalo tem saúde frágil. Pode vir a óbito por tosse (garrotilho) ou cólicas abdominais (dor de barriga). Sinais de doença podem ser detectados pelos sintomas – apatia, embotamento dos olhos, pelagem sem vida, corrimento nasal.

- Cavalos possuem o limiar de dor mais baixo que o do humano. Ou seja, sentem mais dor do que nós, mas não podem gritar e pedir socorro.

- Eles precisavam pastar durante o dia todo, pois precisam de grande quantidade diária de nutrientes. E se manterem em grupo representa segurança vital para os seus integrantes. .
- Sendo o cavalo uma fauna sinantrópica reemergente podem transmitir zoonoses. Dentre as principais, potencialmente transmitidas pelo cavalo, estão a raiva, a leptospirose, a febre maculosa e a doença de Lyme ou borreliose, estas duas últimas transmitidas pelo carrapato do cavalo. Existem ainda outras doenças como a rinopneumonite eqüina, o mormo e a brucelose.

- Em algumas cidades é contra a lei ter carroça no perímetro urbano. Mas não há fiscalização e poucos sabem da lei e é difícil a denúncia; por isso ela inexiste na prática.

- Costumam ser deixados em lixões para procurarem algo que comer por lá. Correm riscos de ingerir lixo contaminado e plástico, se machucar com vidros e agulhas, etc.

- Quando desfalecem de dor e fraqueza no meio da rua, ou atropelados, são abandonados por lá, e chega a hora dos serviços públicos, com dinheiro dos contribuintes, terem o custo do resgate, tratamento e abrigo. Algo que poderia ser prevenido com a abolição dessa atividade e encaminhamento desses animais antes da tragédia. Outros são vendidos para abatedouros clandestinos quando não se mostram mais úteis. Antes disso, a continuação da exploração e sofrimento foi garantida por meio das crias desses animais, e que lhes foram tiradas.

atualiberdadeInformações Úteis:
- Veja como denunciar maus tratos. AQUI.
- Mande e-mails para gabinetes de políticos da sua cidade exigindo leis proibitivas, projetos de encaminhamento profissional, criação de santuários ecológicos, além de implementação de meios de transporte substitutivos.

Conheça o trabalho em prol dos cavalos:
Ons Chicote Nunca Mais http://www.chicotenuncamais.org/
Santuário das Fadas http://santuariodasfadas.org/

Alforria para os cavalos de Paquetá https://www.facebook.com/alforriajapaqueta

 

Assista:
Vida de Cavalo - Instituto Nina Rosa (documentário)
Corcel, Espírito Indomável (animação infantil)

Notícias Relacionadas:

 

- Carros elétricos retrô substituirão cavalos explorados em carruagens em NY (jan/2014): http://www.estadao.com.br/jornal-do-carro/noticias/mercado,carros-eletricos-substituirao-cavalos-em-ny,16561,0.htm

 

- Bogotá, na Colômbia, proíbe definitivamente a tração animal (dez/2013): http://www.anda.jor.br/30/12/2013/bogota-proibe-definitivamente-veiculos-tracao-animal

 

- Recife proíbe tração animal e faz projeto de qualificação profissional com direcionamento ao mercado de trabalho (out/2013): http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/10/no-recife-lei-que-proibe-carroca-de-tracao-animal-passa-valer-em-marco.html

 

- Prefeitura proíbe charretes na Ilha de Paquetá - RJ (29/06/13):  http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/06/prefeitura-proibe-charretes-na-ilha-de-paqueta-no-rio.html  (Ainda não foi proibido 2014)

 

- Projeto que troca cavalos por carrinhos em Salvador é aprovado (Junho de 2013): http://www.tribunadabahia.com.br/2013/06/25/camara-aprova-projeto-que-propoe-trocar-carrocas-por-cavalos-de-lata


- Prefeito de Queimados (RJ) proíbe carroças e charretes
http://extra.globo.com/noticias/rio/prefeito-de-queimados-proibe-charretes-mas-promete-oferecer-alternativa-de-trabalho-aos-condutores-4675178.html  (Ainda não foi probibido. 2014)

 

- Defensoria Pública suspende passeios de charrete em Petrópolis (RJ) por maus tratos.  http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-rio/v/acao-da-defensoria-publica-suspende-passeios-de-charrete-em-petropolis/2121448/

 

- Mais um cavalo explorado em carruagens cai nas ruas de Nova York.  http://www.anda.jor.br/22/08/2012/mais-um-cavalo-tem-colapso-nas-ruas-de-ny

 

- Governador de Nova York apoia o fim das carruagens. http://www.anda.jor.br/28/12/2009/governador-de-nova-york-apoia-a-proibicao-de-carruagens 

 

- Nova Iorque quer substituir carruagens por carros antigos:  http://www.gp1.com.br/noticias/ny-quer-substituir-carruagens-por-carros-eletricos-216428.html

 

- Vídeo mostra cavalo sangrando pelo nariz em carruagem de Nova York:  http://www.youtube.com/watch?v=QxB1Ir3wkpA

 

- Vídeo mostra a verdade sobre as condições dos cavalos explorados nas carruagens de Nova Iorque, como as baias onde são mantidos quando não estão no trabalho forçado:  http://www.youtube.com/watch?v=05c2yR7NU9M

Artigos Relacionados:
A exploração legalizada de animais silvestre e exóticos
A exploração legalizada de animais silvestre e exóticos
  “É muito difícil que um homem entenda algo, quando é do não entendimento disso que seu
Por que somos contra a exploração comercial e genética de cães e gatos
Por que somos contra a exploração comercial e genética de
“Presenciar um filhote em uma vitrine ou numa gaiola de uma pet shop, oferecido como um produto é
confinamento de silvestres
Confinamento de silvestres
Não quero a tua esplêndida gaiola! Pois nenhuma riqueza me consola de haver perdido aquilo que per
pintos coloridos
Pintinhos coloridos
Pintos de galinhas poedeiras são como bezerros de vacas leiteiras. Para o “desperdício dos bezer

Publicidade

  • vetipe

Busca

Fill out my online form.
 

Vídeo

1722588
Hoje
Essa semana
Esse mês
Total de visitas
376
3463
19038
1722588

Seu IP 54.146.59.51
Agora